Reflexões sobre as teorias em jornalismo

17/11/2010 às 3:52 | Publicado em Comunicação, Eventos, Jornalismo, Pesquisa | Deixe um comentário

Os desafios da pesquisa em jornalismo: interdisciplinaridade e transdisciplinaridade –, foi o tema do 8º Encontro da Associação de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor),  realizado este ano de 8 a 10 de novembro de 2010 em São Luís, no Maranhão.

Durante o encontro ficou claro que a discussão do tema passa pela questão de o jornalismo constituir ou não uma disciplina, uma vez que parte dos teóricos da área entende que o jornalismo é parte integrante da área de Comunicação Social, compartilhando os saberes teóricos com outras habilitações, como Publicidade e Propaganda e Relações Públicas. Área que, por sua vez, faz parte do contexto maior das Ciências Sociais Aplicadas.

A questão não é puramente teórica, uma vez que se constituir solidamente como uma disciplina permite uma possibilidade maior de obter financiamentos para pesquisa – os projetos que demandam recursos junto às agências de fomento disputam verbas junto a disciplinas estabelecidas há mais tempo, como a física, a história e a medicina, por exemplo.

Os palestrantes internacionais tinham visões diferentes, porém de certa forma complementares sobre o assunto. Na quarta-feira, 10 de novembro, o professor Martin Löffelholz, do Institute of Media and Communications Science da Ilmenau University of Technology, da Alemanha, lembrou que há muitas disciplinas e espaço para que elas se combinem entre si para possibilitar novas perspectivas, mas que todas as metodologias usadas em jornalismo provêm de outras áreas do conhecimento.

O professor Martin tem um trabalho interessante no qual tenta criar um sistema de classificação para as diversas teorias usadas na área de Comunicação. “Alguns dizem que há falta de foco nesta área, pois teorias antigas não são substituídas, continuando a ser usadas, e não há um núcleo claro de ideias teóricas. Contudo, penso que isso ocorre devido à complexidade dos problemas que tratamos, o que cria a necessidade de muitas abordagens”.

Já Stuart Allan, professor de Jornalismo da The Media School da Bournemouth University, em palestra realizada na terça-feira, 9 de novembro, falou que nos encontramos em uma época de testar os limites das disciplinas. Um exemplo: “A história é muito importante para ser deixada apenas para os historiadores”, disse Allan, autor de 15 livros, sendo o mais conhecido News Culture  (Maidenhead and New York: Open University Press).

Para o professor da universidade inglesa, que tem formação em sociologia e interesse especial em jornalismo cidadão e cobertura de crises, conflitos e guerras, no início nem ciências hoje consagradas como a sociologia tiveram aceitação unânime. “Na verdade, foram precisos 70 anos para que os sociólogos e suas teorias fossem aceitos”, disse.

Por Monica Martinez

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: